A melhor mãe que posso ser…

Essa afirmação em si já carrega o sentimento de fracasso oculto. Como expliquei no início, essa é minha pretensão, ser a melhor mãe possível. Como tudo tem dois lados, junto dela veio a cobrança diária, o julgamento constante, a ansiedade e a insegurança.

Em busca de como ser essa mãe, procurei a resposta em muitas leituras, revistas, palestras, cursos (sim, eu fiz curso de gestante), programas de TV e afins, onde a todo momento a visão antiga de como criar filhos, aquela que nossas mães provavelmente usaram conosco, está totalmente “errada” e o modo “correto” diverge tanto quanto a moda atualmente.

Não há quase consenso e são diversas formas vendidas prontas para resolver seu problema de como se cuidar na gravidez ou como educar os filhos. Aí você não sabe qual seguir, quando escolhe não dá certo, se frustra, fica na dúvida se este ou aquele…

Cheia de informações, a única coisa que consegui com estas pesquisas foi me tornar ansiosa e insegura. Antes eu nem imaginava ficar assim. Mas como costume, logo que me descobri gestante corri para me informar. Tinha um ser que dependia somente de mim. Foi aí que a insegurança bateu na minha porta, e entrou para ficar!

O que eu posso comer? Ele está crescendo bem? Quero fazer outra ecografia, essas dores são mesmo normais? Os questionamentos sobre mil coisas passam a ocupar sua mente de forma repentina e não tem data para acabar.

Na busca de se livrar dessa insegurança começamos a desejar inconscientemente que tudo aconteça mais rápido para termos certeza que está tudo bem. Que nasça logo, para termos tranquilidade que ocorreu tudo certo no parto, que role, que ande, fale, e por aí vai. Pronto, a ansiedade acabou de bater a minha porta.

Passei por muita coisa na minha primeira gestação, principalmente na minha cabeça, pois tinha muito tempo livre para dedicar a minha nova situação. Graças  a minha segunda gestação, onde não tinha tempo para nada, já que uma criança de um ano nos ocupa muito, percebi quanto tempo precioso perdi pensando bobagens, por simples insegurança e ansiedade.

Minha segunda gestação se resumiu a curtir a interação com minha nenem dentro da barriga, quando conseguíamos ficar sozinhas. Não teve ansiedade, ao contrario, estava passando muito depressa. No meu pensamento estava tudo bem e a insegurança ficou de lado. Queria ter aproveitado mais com este pensamento da primeira vez, mas enfim, aprendizado.

Milha primeira reflexão sobre como deve ser a melhor mãe, se traduz em uma mãe SEGURA e TRANQUILA. Não achem que agora sou assim, ainda longe disso..me sinto diversas vezes sendo invadida por estes velhos conhecidos sentimentos. Mas hoje tenho a percepção do quanto eles atrapalham nosso papel. Os filhos antes de mais nada sentem a nossa insegurança. Não importa se não esta dando banho da maneira “certa”, se estiver segura e tranquila, certamente será o melhor para o seu filho.

Então reflitam sobre as atitudes que se repetem, sobre os pensamentos que incomodam, percebam esse comportamento e lutem, diariamente, para que não cresçam em suas mentes. Parem para pensar o que despertou esses sentimentos e se defendam deles, para que possam curtir cada passo desse caminho ao lado dos filhos, sendo na maior parte do tempo seguras e tranquilas do que estão fazendo.

Mesmo que vocês não acreditem, a grande maioria das crianças vão se desenvolver normalmente no seu tempo, não igual a tabela.  Seus medos e temores não vão mudar nada, talvez até mesmo prejudiquem seus filhos se eles forem criados em um ambiente inseguro. Aprendermos a controlar nossos medos, a acreditarmos na naturalidade de sermos mães,  com certeza é o primeiro passo em busca da melhor mãe que habita em nós. Lá,  soterrado embaixo de tudo que já disseram que vocês devem ou não fazer, existe um instinto materno pronto para despertar e assumir o controle, só depende de nós.

 

 

4 thoughts on “A melhor mãe que posso ser…

  1. Adorei o texto! Reflexivo e real.

    Por aqui estamos indo para a segunda gestação e ainda assim cheia de medos. Apesar de saber que a tranquilidade é o segredo para muitas coisas, tem horas que ainda é difícil. Amei a reflexão e o tema abordado.
    A melhor mãe que posso ser é a mãe que sou, o principal é esquecer o que os outros impões que sejamos.

    Beijos.

    Blog Jovens Mães

    1. Que bom que gostou! Parabéns pela gestação! Tudo de bom pra vcs! Sempre surgem novas duvidas na maternidade, o legal é nos ajudarmos compartilhando e dividindo o peso, rsrs. Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *