Como lidar com as birras?

Todos filhos provavelmente farão birras uma ou mais vezes durante os primeiros anos de vida. As pessoas que presenciarem um ataque histérico do seu filho certamente irão se assustar e podem até mal julgar você como mãe. Mas nós mães devemos lembrar que isto é natural e demonstra que seu filho está desenvolvendo sua independência.

Quando passei por isso a primeira vez meu filho tinha pouco mais de um ano. De repente ele quis algo que viu e começou a chorar e gritar no meio do shopping. Eu tentei pegar ele no colo e foi então que ele começou a espernear e se atirou no chão. Nessa altura já tinham várias pessoas curiosas com tanto barulho. Lembro de ter pego ele no colo esperneando mesmo e sentado em um banco segurando firme os braços para se aquietar. Ele continuou chorando uns dois ou três minutos e foi cedendo aos poucos.

Já tinha lido em alguns artigos que falavam exatamente em fazer esse procedimento e foi o que me ocorreu no momento. Eu acredito que funcionou. Aos poucos passou. Não perguntei nada nem reprimi ele. Disse apenas que ele ainda estava aprendendo a controlar as emoções e que ele não ganharia nada fazendo fiascos.

Naquele momento senti vergonha. Não pela situação que acabava de protagonizar no meio do shopping, mas por já ter julgado esses fatos quando era nais nova. Lembrei de ter pensado coisas tipo: que educação essa família dá para essa criança? Que criança mimada! Agora sei que não devia ter julgado ninguém. Muitas coisas tem o tempo certo de aprendizado e não temos como evitar as birras desse período.

Entre 1 ano e meio e 3 anos meu filho fez diversas vezes birras em casa, por motivos variados. Minha conduta era sempre não ceder e deixar chorando até se acalmar. Eu ignorava totalmente ou aplicava a mesma técnica. Quando ele se extendia demais, pegava no colo sentada e segurava firme para ajudar ele a se acalmar. Garanto que conversar neste momento é inútil pois eles estão momentaneamente surdos.

Outra vez, quando já tinha pouco mais de 2 anos, estávamos no supermercado e meu filho quis um  iogurte. Eu neguei. Ele começou a chorar e gritar. Passeamos uns 4minutos assim pelos corredores. Então uma senhora passou e disse pra ele: tu estás bem?? Na hora o choro parou. Ele ficou constrangido e essa foi a segunda e última vez que fez fiascos na rua.

Agora minha filha mais nova já demonstra seus primeiros sinais da fase de birras. Mais calma e tranquila espero lidar sem me deixar abalar tanto. Confesso que tiveram dias em casa em que quase perdi a paciência. Desta vez, pretendo usar um mantra: ela ainda não tem controle das emoções e deve estar assustada com essas sensações! Espero assim poder passar segurança e tranquilidade. Não cedendo aos pedidos por birra, nem me alterando ou perdendo a paciência.

Lidar com  a naturalidade necessária e lembrar que logo isso passa. Só não ceder nunca, pois deste modo essas birras vão se entender durante a infância.  Não é preciso deixar de frequentar locais públicos, mas vale usar o bom senso e escolher locais apropriados para família. Existem muitos restaurantes e até bares com recreação e fraldário. Não se envergonhe com as situações que vier a passar. Somos humanos e isso é natural, se o local te dá facilidades para levar crianças, leve. Os que te julgarem, deixa pra lá. Certamente não sabem de nada, e talvez um dia, estarão na mesma situação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *