Amamentar: você está preparada?

Deseja amamentar? A amamentação é um assunto bem polêmico atualmente. Não acreio que radicalismos sejam saudáveis. A experiência de estar há 3 anos amamentando me traz muita alegria, mas passei por uma série de dificuldades, fissuras, mastites e muito cansaço.

Está preparada?

As gestantes devem ler sobre o assunto e decidirem o caminho que pretendem trilhar. Se decidir amamentar deve se preparar para fazê-lo. A falta de conhecimento pode levar a “pega” incorreta, fissuras, insegurança, bebê histérico e mãe sem leite.

Se acham que peguei pesado, o número reduzido de mães que amamentam e a quantidade de profissionais para guiar a amamentação mostram o quanto o assunto é sério. Ouço seguido: Você ainda têm leite? Ela mama desse tamanho? Já está virando “anormal” amamentar o bebê até os dois anos de idade, mesmo sendo o que a Organização Mundial da Saúde recomenda.

É um dado muito triste, sei que muitas mães se frustraram em não terem conseguido amamentar. Em breve vou fazer outro post com dicas práticas e espero que possa ajudar mais mamães a terem uma boa experiência e não desistirem só por falta de informação.

Amamentar é um ato de amor e exige muita dedicação!

Amamentar é simplesmente um ato de amor. É muito além de alimentar, é aconchegar um bebê que ainda está se adaptando ao mundo e a ele mesmo. Minha filha mais nova tem 1 ano e pouco e toda vez que fica triste ou se machuca corre e pede meu peito. É um elo de confiança que existe entre nós. Traz muitos benefícios para a saúde dela e muita satisfação pra mim.

A amamentação requer disponibilidade de tempo, calma, tranquilidade, conhecimento e muita força de vontade. Acredito que vale muito a pena todo esforço e sacrifício. Mas sei que não é igual pra todo mundo. As pessoas vivenciam de modos diferentes, surge uma dificuldade, têm muitos compromissos e acabam optando por algo mais prático, como as fórmulas.

E as mamães que trabalham?

Muitas mães têm que voltar a trabalhar logo, isso realmente atrapalha bastante. A mãe terá que tirar o leite, vai ter noites mal dormidas e essa sobrecarga pode acabar com o bom humor e prejudicar o trabalho ou a relação familiar.  Mesmo sendo mais difícil, não é impossível, para uma mãe que quer amamentar, sempre dá-se um jeito para tudo.

Dá para complementar com fórmula?

 Muitos médicos receitam fórmulas desnecessariamente. Existem exceções, onde a criança não ganha peso, mas muitos optam por amamentar e fazer uso de fórmulas juntos. Esse ato acaba estimulando o abandono do peito. Mesmo as mamadeiras que tem mais resistência a saída do leite, podem acabar causando um desmame. Esteja ciente das escolhas que for fazer, na dúvida, procure outro médico ou ajuda nos grupos de amamentação.

Na lista das causas do abandono da amamentação pelas própria mamães, está a questão estética. Amamentar deixa o peito caído? Isso passa na cabeça da maioria das mães. no meu caso: sim. Eu não me importei com isso, você se importa? Outras mamães afirmam ter ficado com os peitos ainda maiores e mais bonitos. Cada caso é um caso.

Se preparando para amamentar…

Se pretendem amamentar façam planejamento sobre o retorno ao trabalho. Entrem em grupos de apoio para amamentação antes do parto. Peçam aos maridos para lhes ajudarem. Conheçam o processo para na hora estarem prontas e desfrutar!

Estejam conscientes das possíveis dificuldades que podem enfrentar. Algumas mães acham muito dolorido, e no começo é mesmo! Há mamães que sentem uma sensação ruim, ficam nervosas com o bebê chorando porque o leite ainda não desceu. Se cansam demais em acordar várias vezes a noite. Tiveram mastites e fissuras que não cicatrizaram. E, principalmente: não tem apoio do pediatra, da família ou amigos. Em muitos casos nem sabe direito o que está fazendo. Isso entre outras coisas comuns que passamos acaba fazendo muitas mães desistirem da amamentação. Seja qual for o motivo, não se culpe por ter desistido. Mas, se quiser, saiba que existe toda uma rede de apoio a retomada da amamentação por doulas e outras mães que amamentam, não hesite em procurar ajuda.

A melhor mãe que você pode ser é aquela que tem calma e confiança no que está fazendo. Essa é minha opinião. Não dê ouvidos aos comentários alheios, só você pode decidir o que é melhor para você e seu filho. Procure um profissional que respeite e te guie na sua opção. Sem culpa, com amor e dedicação ao seu bebê, seja com o peito ou com mamadeira, você será uma ótima mãe.

Gostou? Leia mais em:

http://quemaesoueublog.com.br/sono-do-bebe-afinal-o-que-e-certo/

http://quemaesoueublog.com.br/autoestima-e-a-vaidade-pos-parto-como-fica/

http://quemaesoueublog.com.br/como-fica-o-casamento-apos-a-chegada-do-primeiro-filho/

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *