Aprendizado : Cada coisa ao seu tempo…

O que deve ser ensinado às crianças? Quando? De que modo? Como seria o aprendizado ideal para meus filhos? Vamos falar disso?

Li na entrega do boletim do meu filho de 3 anos que ele apresentava dificuldades em matemática. Fiquei em choque por um instante. Matemática pra crianças de 3 anos? Se tratava de contar e aprender a reconhecer os números. Eu nunca tinha nem pensado em ensinar isso a ele. Aqui em casa só se brinca, pinta e corre. Tive que parar para pensar e refletir sobre o assunto.

Tenho que confessar que a primeira coisa que fiz foi pegar ele e tentar ensinar. Ele sabia contar, mas logo perdeu a paciência na brincadeira.  Os números só não reconhecia o 5, 6 e o 9. Mas depois de dois dias me questionei se estava certo aquilo. Resolvi buscar  informações na internet. Obviamente achei várias linhas de pensamento diferentes sobre a alfabetização precoce. Desde os que defendem o só brincar aos que vendem métodos de ensinar crianças de 3 anos a ler e escrever.

Depois de ler alguns artigos e comentários conclui que criança deve brincar. Eu entrei na escola com 6 anos e não sabia nada de matemática nem português e não tive dificuldade em aprender nesta idade. Não tem porque perder essa fase tão fascinante com números ou qualquer outra coisa que ele ache entediante.

Tenho dois filhos, ambos começaram a andar com 10meses. A mais nova só com 1 ano e 5 meses começou a falar as primeiras palavras. O desenvolvimento de cada um deles não poderia ter sido mais diferente. Ela começou a mostrar o que queria e imitar tudo que o irmão fazia desde bem pequeninha. O que isso significa pra mim? Que cada criança está desenvolvendo diversas habilidades neste período e cada uma será de um modo diferente, no seu tempo, mas no final todas andam, falam e aprendem a ler e escrever.

Ensinar crianças tão pequenas esse tipo de coisa, além de ser chato, pode causar frustração no caso de se sentirem incapaz de compreender o ensinamento. Eu tenho certeza que o fato do meu filho não estar aprendendo facilmente matemática tem a ver com o desinteresse dele no assunto. Caminhões e super heróis são muito mais divertidos.

Fico triste que nas escolinhas já sejam cobrados resultados de crianças que mal saíram das fraldas. Acho uma perda de tempo tentar ensinar algo que agora vai demorar alguns meses e daqui uns anos se aprenderia em duas tardes.

Pior ainda é quando vejo os próprios pais cobrando ou exaltando os conhecimentos dos filhos como se estes fossem troféus ou melhores que os dos outros. Não somos todos iguais, cada um tem habilidades diferentes. O pior, é que muitas destas habilidades estão deixando de serem despertadas nas crianças. Elas estão sufocadas pelas informações impostas na escola e em casa. A sensação de fracasso que as crianças vivenciam antes de terem desenvolvido seus potenciais, podem inibir que eles venham a se desenvolver.

Aqui em casa se brinca, se aprende a respeitar os outros, a dividir as coisas, a ajudar ao próximo. Aqui não se impõe números ou letras. Se conversa e se expõe sentimentos. Quero que meus filhos saibam lidar com as emoções, com o fato de não ter tudo que querem.  Eles tem que aprender que não que se ganha as coisas no grito ou  na chantagem, que saibam respeitar e dar valor ao que realmente importa. Que quando se discorda e briga, também fazemos as pazes.

Se eu conseguir ensinar essas coisa a eles já estarei satisfeita. Eles vão ser cobrados de muitas coisas durante a vida e só com uma base sólida de quem eles realmente são, de que não precisam ser mais que ninguém para serem felizes, poderão enfrentar as cobranças sem se despedaçarem  pelo caminho.

Espero que as escolas continuem mudando o modo de ensinar para que meus filhos tenham a chance de aprimorar o melhor deles, que aprendam a usar isso para ter uma carreira que traga satisfação pessoal além de dinheiro. Que eles aprendam a viver em sociedade e a não desistir dos sonhos.

Esta mudança já começou em algumas escolas, mas pode estar longe para muitos. Em casa nunca serão cobrados a serem iguais aos outros. Vou estar sempre tentando ajudar a perceberem o que lhes faz bem e feliz. Que não vejam suas dificuldades como um problema, saibam lidar com naturalidade, afinal, tudo que desejarem irão aprender, cada um ao seu tempo.

0 thoughts on “Aprendizado : Cada coisa ao seu tempo…

  1. Adorei!!! Exatamente o que penso…e mesmo não sendo algo que realmentente importa, Júlio também apresentou dificuldades em matemática…e??? Não to nem ai….quero é que ele brinque e seja feliz!!!!

    1. Que legal! Realmente nessa idade o que importa é brincar e desenvolver suas habilidades emocionais. Já está mais que provado que a inteligência emocional é o que vai transformar nossos filhos em pessoas felizes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *