Pais ativos! O papai aí participa nos cuidados com os filhos?

Em uma época de tanta discussão sobre a igualdade entre homens e mulheres, o papel do pai também entra em questão. Afinal, como dividir os cuidados dos filhos com os pais? Como as mamães lidam com isso?

Paternagem, uma escolha de se entregar a ser pai.

Você  já ouviu falar de paternagem? Diferente da paternidade, que é o simples fato de ter um filho, a paternagem é a aceitação e dedicação do pai ao filho. É o envolvimento emotivo e ativo na função de pai.

Mesmo com a importância da paternagem cada dia mais conhecida, o machismo ainda impera na nossa sociedade. Engana-se quem pensa que ele está só na cabeça dos homens. As mulheres lutam confiantes por direitos iguais e divisão dos cuidados da casa. Mas, e quando se trata dos cuidados dos filhos?

Não é incomum encontrar  mamães que não confiam nas habilidades do papai para cuidar dos pequenos, dificultando o envolvimento entre pais e filhos.

Quando tivemos nosso primeiro filho, meu marido sempre ajudava nos cuidados. Dava banho, trocava fralda e colocava para dormir. Mas demorou bastante para que eu me sentir segura e tranquila para deixá-lo cuidar sozinho do bebê.

Entendo as mamães que não conseguem delegar certas tarefas para os papais. A verdade é que a maioria deles está despreparado para isso, visto que há pouco tempo atrás, não era de costume exercerem tarefas como alimentação, higiene ou rotinas dos filhos.

Como lidar com os papais despreparados?

Muitas vezes os homens não se sentem confortáveis em determinadas tarefas justamente por não terem experiência ou não se sentirem capazes. Nestes casos, temos que ir mostrando e auxiliando, dando a eles a experiência na prática. Mas, para isso, eles precisam de espaço para tentar, errar e tentar de novo, até aprenderem.

Quando o papai é muito machista, o que fazer?

Quando o machismo ficou enraizado na criação, os pais não acham que lhes cabem certas funções. Muita conversa, incentivo e apoio podem ajudar a mudar esta percepção. É um processo delicado e é importante refletir sobre isso, inclusive quando planejarem filhos.

Os pais devem e precisam participar dos cuidados com os filhos. Não é só questão de igualdade, é um laço de amor e confiança que se desenvolve com os filhos. Em tempos em que mães e pais trabalham excessivamente, é essencial a participação e dedicação de ambos para o bom funcionamento da casa e da educação dos filhos.

Conversar com o marido e tentar entender como se sente é o primeiro passo para se encontrar um bom convívio em família. Talvez algumas atividades sejam mais fáceis do que outras para eles e se adaptar a isso ajuda muito a obter bons resultados.

Homens e mulheres cuidam de forma diferente dos filhos

Com certeza a mãe e o pai tem diferentes percepções sobre os cuidados com os filhos. Mas, isso também difere absurdamente entre as próprias mães. Basta olhar tópicos de grupos de mães que a diversidade de opinião são gritantes. Então, ao dividir tarefas, precisamos entender e respeitar as diferenças. Conversar e chegar a consensos, para que não se crie um problema maior no relacionamento familiar.

A mãe que boicota o pai de hoje, cria o filho machista de amanhã.

As mamães que não confiam nos parceiros, não incentivam ou não permitem a sua participação ativa na rotina familiar mostram aos filhos que os homens não servem ou não são capazes de cuidarem deles. Não se espera que este filho no futuro sinta que é capaz ou  que deva fazer diferente. Portanto, nem que seja aos poucos e com supervisão, temos que ajudar nossos maridos a aprenderem a cuidar deles e valorizar esta evolução.

Temos que lembrar que o machismo não foi criado por nossos companheiros, estamos reformulando conceitos em sociedade e isso requer esforço e paciência. Muitos homens já se viram muito bem nos cuidados com a casa e os filhos, mas não é a regra geral. Não se sinta mal se não é o seu caso, mas não devemos desistir. O diálogo é a melhor maneira de irmos mostrando e mudando esta realidade.

Meu filho só quer a mãe!

Às vezes, mesmo sendo um pai ativo, os bebês preferem a mamãe e demonstram com choros insistentes. Isso pode ser bem cansativo para nós mamães e frustrante para os papais, que podem se sentir rejeitados. O melhor é ter calma nessa situação e tentar incluir o papai em alguma atividade que o bebê aceite melhor, até mesmo atividades ou passeios a sós com os filhos.

Durante muito tempo meu marido colocou minha filha para dormir. Depois que desmamei ela aos 20 meses, ela não aceitou mais de forma alguma. Invertemos tarefas para poder respeitar sua vontade. São fases e logo passará.

O diálogo constante em família é essencial. A flexibilidade e empatia deve ser exercida com dedicação. Criar filhos não é nada fácil, mas dividir a responsabilidade com o pai além de tornar a jornada mais leve, trará muitos benefícios para os filhos. O papel de ambos é de extrema importância, quanto mais amor, apoio e segurança, melhor será para nossos filhos.

Gostou? Leia mais em:

Ser mãe às vezes cansa..

Educação: gritar funciona?

 

2 thoughts on “Pais ativos! O papai aí participa nos cuidados com os filhos?

  1. Adorei o post e saber mais sobre paternagem!! Aqui é complicado, meu marido é novo e não me ajuda em praticamente nada. Já tentei conversar, discutir, e nada feito!! Ele acha que já faz o bastante ficando com o bebê quando eu tomo banho e quando janto. Falo pra brincar com ele, não dura 15 minutos,ele não sai do celular e deixa o Pedro brincar sozinho. Já desanimei tanto, porque com isso,ele não tem aquele vínculo com o bebê e eu nao tenho tempo pra nada tbm. É difícil quando não entra na cabeça deles..

    1. Que pena, realmente a sociedade tem muito a mudar ainda. Mas não desista, mostre reportagens, imcentive e o ajude a interagir. Aos poucos eles podem ir se abrindo para isso. Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *