Meu destino de praia preferido em família!

Jurerê Internacional

Viajar para praia com crianças pequenas não é nada fácil! O local e a estrutura certamente farão toda a diferença na qualidade das férias.

Hoje vim contar um pouco sobre meu destino favorito com meus filhos, Jurerê Internacional em Santa Catarina! Viajamos dois verões para lá e foram férias maravilhosas! Quer saber mais sobre o destino? Vamos lá!

A cidade

Localizada ao norte da ilha de Florianópolis, é uma praia muito famosa pelas mansões, festas e beach clubs de nível internacional. O que muitas pessoas não sabem é que além disso, tem uma parte da praia mais tranquila, com hotéis e pousadas a beira-mar, ideais para famílias. Além de ótimas opções de restaurantes, supermercados, lojas, farmácias e o que mais você precisar!

Mar calmo!

A principal vantagem para bebês e crianças pequenas certamente é o mar calmo. Águas paradas e uma linda paisagem formam o local ideal para levar os bebês. Compramos aquelas bóias de piscina que o bebê senta dentro e foi diversão garantida. Podemos tomar banho de mar com eles tranquilamente, brincando e se divertindo sem problemas. Dá  até para ver peixinhos de tão limpa que é a água.

A faixa de areia da praia é estreita e foi a única coisa que deixou a desejar, ao meu ver. Durante a alta temporada e feriados pode ser difícil conseguir um espaço para o guarda-sol se você chegar muito tarde. De qualquer forma, pode ser facilmente resolvido chegando cedinho, assim nos protegemos do sol forte e garantimos nosso espaço na areia.

Além da praia, as belas ruas são excelentes para um passeio de bicicleta no final da tarde ou uma ida a pracinha. Tudo bem cuidado e lindo! Meu filho todos os dias andava conosco quase uma hora de bicicleta, foram passeios ótimos e relaxantes.

Infra-estrutura hoteleira

Existem muitos hotéis, pousadas e casas excelentes para alugar. Porém, crianças pequenas precisam de uma estrutura especial para facilitar nossa estadia. Poder sair da praia e usar um fraldário quando necessário é grande ajuda. Não ter que pegar um carro para ir a praia, ter cadeiras e guarda-sol ao seu dispor e poder usar estrutura de área kids são coisas que não abro mão. Sugiro estes dois locais que ficamos, atendem muito bem estas necessidades e vale a pena conhecer.

A primeira vez que fomos ficamos hospedados no Jurerê Beach Village.  O apartamento é ótimo e fica na beira da praia! Possui várias piscinas, dois bons restaurantes no hotel, recreação para crianças maiores de  5 anos, serviço de praia e ótima localização. Eu gostei bastante e aproveitamos muito as piscinas aquecidas ao ar livre! Dá para reservar pelo site do hotel ou direto com proprietários dos apartamentos pelos sites de reserva.

Bem próximo tem a Pousada dos Sonhos. Esse foi o local que ficamos a segunda vez que fomos e me apaixonei por completo! Ficamos em um dos flats, que tinha sala, cozinha, dois quartos e uma varanda. Precisávamos de espaço, pois levamos a vovó e a família já tinha mais uma integrante, minha bebê que estava com 9 meses. A pousada fica à beira-mar e tem uma área de lazer incrível de frente para o mar.  Além do serviço de praia, tem ainda caiaques, bicicletas com cadeirinha para crianças e área kids bem ao lado da piscina.

Os preços dos hotéis e pousadas costumam ser bem elevados por lá. Para economizar fechamos o pacote com a Pousada dos Sonhos em julho para irmos em dezembro e ganhamos um desconto bem generoso! Planejamento ajuda muito nessas horas e pode render uma boa economia.

Outros Passeios

Além de desfrutar da praia local, existem várias opções legais de passeio nas praias vizinhas. Algumas são ótimas para passar os dias nublados passeando no centrinho, outras para aquele happy hour ou jantarzinho especial.

Canasvieiras tem um centro bem movimentado. Para mim, com dois filhos pequenos, não é uma opção muito atrente. Entretanto, é de lá que saem os barcos piratas! Um passeio muito legal para crianças acima de 3 anos. Teatro e muita diversão em alto mar garantem momentos muito legais em família.

Perola Negra Escuna – Barco Pirata

No final da tarde nada melhor que um passeio a Santo Antônio de Lisboa! Com colonização portuguesa, é linda e encantadora. Tem vista para a ponte de Florianópolis e pode-se fazer um happy hour no calçadão à beira-mar e ver o pôr do sol. Os restaurantes são famosos pelos pratos de ostras, criadas ali mesmo. Artesanato,  lojas e restaurantes tornam o passeio agradável a todos. Todo mundo que conhece se apaixona!

Santo Antônio de Lisboa - SC
Santo Antônio de Lisboa – SC

Existem outras praias lindas para passar o dia, como  a Praia da Joaquina com suas famosas dunas e altas ondas. Praia da Daniela com seu mar calmo e tranquilo. Praia dos Inglêses com uma estrutura bem desenvolvida de comércio e restaurantes, entre outras.

Enfim, certamente é meu destino preferido de férias com os pequenos! Espero que tenham gostado das dicas! Quem conhece outros lugares legais não deixa de comentar aqui para ajudar outras mamães!

Pousada dos Sonhos: http://www.pousadadossonhos.com.br

Jurerê Beach Village: http://www.jurere.com.br/hoteis/beach-village/

Gostou? Leia mais em:

Dicas para férias com crianças pequenas!

O que fazer com os filhos em casa nas férias?

 

 

Briga na frente dos filhos, pode?

Todo casal normalmente tem discussões, umas leves, outras mais intensas. O que fazer com os filhos nessa hora? Quanto mais eles crescem, mais difícil é esconder esses momentos. Mesmo que não presenciem uma briga, eles verão que a atitude do casal pode ter mudado. Crianças tem o dom de sentir, não precisam de muitas explicações. Qual a melhor forma de lidar com isso?

Todo mundo já ouviu a frase: “Nunca brigue diante de seus filhos!”. Eu concordo e discordo ao mesmo tempo. Concordo que se o tipo de briga que o casal costuma ter envolve ofensas, desrespeito, acusações e assuntos delicados, realmente as crianças não devem presenciar nada disso. Se por acaso, ocorrem algumas discussões sobre assuntos mais leves, onde se mantenha argumentos e a tentativa de achar uma solução, pode ser muito bom os filhos presenciarem estes momentos.

Acredito que as crianças aprendem com nosso exemplo. Elas vivenciam brigas e discussões desde cedo, entre elas e os pais, entre irmãos, colegas ou familiares. Se eles não tem a oportunidade de ver como os adultos, principalmente os pais agem quando discordam, não terão base para aprender a reagir nessas situações. Aprender a lidar com as diferenças, saber ceder em alguns momentos, pedir desculpas se tiver feito algo errado, são coisas essenciais para uma boa relação interpessoal.

Toda vez que meu filho mais velho, que já entende bem as coisas, assisti uma discussão, explico a ele o que aconteceu. Que a mamãe e o papai discordam de como deve ser determinada coisa, que cada um explica seus motivos, refletimos durante um tempo, depois chegamos em um acordo e volta tudo ao normal. Se por acaso um de nós altera o tom da voz, pedimos desculpas e explicamos que isso pode acontecer por estarmos nervosos, mas isso não ajuda e nem resolve nada. Todo mundo erra, pais e filhos, não há nada de anormal nisso. Estar sempre disposto a admitir seus erros e se esforçar para evitar que se repitam é o processo normal de aprendizado para todos.

Os casamentos geralmente passam por fases, às vezes os desentendimentos são mais frequentes, outras vezes quase não ocorrem. Todos nós passamos momentos estressantes na vida. Pode ser o trabalho, as finanças, a relação familiar, uma doença ou outro motivo qualquer. Mas como pais, temos o dever de nos vigiar sobre o que estamos ensinando aos nossos filhos. Isso nos torna melhor e nos motiva a superarmos nossas dificuldades. Se esforçar para melhorar a relação entre o casal, trará benefícios para toda família. Poder ensinar seus filhos a se relacionarem de verdade, respeitando o próximo e admitindo seus erros é essencial.

Crianças que foram totalmente excluídas desse assunto da vida dos pais, possivelmente terão problemas com seus relacionamentos. Ter uma falsa imagem de casal perfeito transmitida pelos pais, pode gerar frustração nos relacionamentos daquela criança no futuro. Ela pode se sentir fracassada ou insatisfeita com as relações e não saber lidar para resolver os problemas. Criar expectativas fantasiosas nas crianças não pode trazer nada de bom para elas. Sempre prefiro a verdade, dita de forma apropriada e de acordo com o entendimento de cada criança. Temos que ensinar e preparar nossos filhos para a vida, para amar, para superar os desafios e não desistir por qualquer bobagem.

Temos que ter cuidado na hora da raiva. Não passarmos uma má impressão do pai ou da mãe para os filhos. O desmerecimento de um com outro sim, pode ser sentido e ter reflexos muito ruins para as crianças. Eles podem se apropriar da raiva pelo outro, ou ainda se ofender e rejeitar quem está desmerecendo. Uma boa conversa a sós entre os pais para refletirem sobre as brigas é essencial. Resolver antigos problemas, perdoarem, deixar o orgulho de lado e se abrir para uma boa relação só trará coisas boas para a família. Enquanto não puderem dar um bom exemplo, melhor evitar a todo custo a presença dos filhos nesses momentos.

Aprendermos a lidar melhor com nosso parceiro é essencial para criar crianças em um ambiente saudável. Todos temos defeitos, mas o amor aceita o outro como é, sem julgamentos. Valorize as qualidades do seu companheiro, o que te fez escolher ele para ser pai do seus filhos. Ás vezes o simples fato de aceitar as limitações do outro já acaba com a maioria das discussões.  Nem sempre depende só de nós, mas temos que tentar fazer a nossa parte. Transmitir ensinamentos úteis, darmos o exemplo. Assim, nossos filhos poderão se tornar adultos equilibrados e felizes em suas relações.

 

Como fica o casamento após a chegada dos filhos?

A chegada de um filho traz muita alegria e felicidade, mas é uma mudança radical na relação marido e mulher. Muitos casais experimentam dificuldades em reencontrar harmonia com a nova dinâmica familiar. O sucesso de um casamento está na capacidade de se adaptar as dificuldades, reencontrar o equilíbrio juntos e fortalecer a relação a cada desafio superado. E você? Está fazendo sua parte para isso?

Logo após o parto nós  passamos aqueles 30 a 40 dias de resguardo. Todos estão preocupados em atender o bebê, aprendendo suas novas funções de mãe e pai. O marido ajuda nas tarefas com o bebê, é super compreensivo com a mamãe e você pode achar que a fase mais complicada já passou.

Pode ser para alguns casais, mas uma grande parte vai ter essa fase de adaptação mais prolongada. Nosso corpo após o parto leva por volta de um ano inteiro para se recuperar da gestação. Nem sempre nós ficamos confortáveis com nosso corpo nesse período. Somando a isso, a diminuição da libido por conta dos hormônios do aleitamento, a preocupação com as rotinas do bebê e o cansaço, não é de se estranhar que não seja tão fácil assim a retomada da vida sexual do casal.

O marido que estava super compreensivo, com o passar do tempo pode acabar irritado com a situação prolongada. Ninguém tem culpa das ações dos hormônios e quem acaba de passar por uma gestação sabe disso. Eles são cruéis conosco e os homens também são afetados por eles.

O papai está muito feliz com o filho e está curtindo muito. Mas certamente ele está aguardando a esposa voltar a ser como era antes. Nós sabemos que isso não vai acontecer. Podemos aos poucos retomar a vida sexual, vamos sair a dois para dançar ou conversar, ver os amigos sem os filhos, mas nunca mais será como antes. Muitas mães largam o emprego, os gastos aumentam e o padrão de vida do casal pode cair. As mudanças podem ser muitas, e a adaptação a nova realidade se tornar mais complexa.

Somos diferentes agora. Somos mãe e temos outras prioridades e preocupações. As atividades em família serão a nova programação na maior parte do tempo. Se tiver mais de um filho, vai ser mais difícil ainda as escapadas à  dois e conversar determinados assuntos em casa.

O resultado disso é que o casal acaba se distanciando. E digo isso principalmente no quesito do diálogo. Aquelas famosas DRs que tanto ajudam o casal a se manter satisfeito numa relação quase não tem mais vez. São substituidas por algumas reclamações ou pequenas discussões sobre assuntos banais. O que deveria estar sendo conversado está ficando de lado. Mágoas podem começar a se formar de um lado e de outro.

Quanto mais o tempo passar mais difícil se torna essa reaproximação. Não deixe isso pra lá. Quando perceber que algo não está bem entre o casal, arranje um tempo para conversarem e entenderem os sentimentos um do outro. Os papais devem ser compreensíveis, mas nós também devemos dar atenção à nossa relação.

O número de casais que se separam após a chegada do primeiro filho é enorme. Eu atribuo a isso a idealização que um e outro têm sobre o parceiro. Ser pai e mãe muda tudo, mas temos que estar abertos a amar o parceiro na nova função.

Cada um assumirá sua personalidade como pai e mãe. Não podemos exigir que tudo seja como nós queremos. Muitas vezes irão discordar sobre como educar ou o que os filhos podem ou não fazer. Mas temos que aprender a admirar nosso parceiro na nova função, afinal, todos estamos aprendendo. Criar os filhos em um ambiente com amor e harmonia faz toda a diferença.

Se estiver passando por uma dessas fases, não deixe para depois. Páre e reflita o que pode estar sendo difícil para o companheiro se adaptar, o que ele mais sente falta. Mantenha o diálogo e tente ouvir o outro lado. Aos poucos cada um vai se fortalecendo como pai e mãe e a relação do casal poderá se firmar muito melhor do que antes dos filhos. É só uma questão de manter o companheirismo. Se você escolheu seu parceiro para ser o pai dos seus filhos, faça sua parte para manter essa relação forte e saudável!